terça-feira, 30 de novembro de 2010

Sombras: O inicio



Meu nome agora não é algo importante,
o que importa é que matarei uma pessoa hoje
e nos próximos meses mais onze....


(Clique aqui, Passagem do livro, Sombras)

Saint Germain, o Conde imortal.


O homem mais enigmático do séc. XVIII, o qual não possui registros comprovados da data de seu nascimento (1696? – 1784?), nome e morte. Conhecido como alquimista, místico, ourives (trabalha com metais preciosos), cientista, músico, compositor, etc.
Na Europa, teve sua fama difundida, por ser o “possuidor da Pedra Filosofal e do elixir da vida eterna (contato com a Deusa Panaceia, a Deusa da Cura)”, portanto, sendo imortal.
É provável que ainda jovem tenha estudado na Itália, sob a tutela do Grão-Duque Gian Gastone (último descendente dos Médici) e por volta de 1745, conheceu Jean-Jacques Rousseau, o grande filósofo que se mostrou admirador do Conde ao dizer que fora “a mais fascinante e enigmática personalidade que já conhecera”.
De 1758 a 1760, viveu na França, sob a proteção do Rei Luís XV; Durante o ano de 1762 viveu na Rússia, presenciando a Coroação de Catarina, a Grande, derivada de um golpe de Estado que muitos místicos atribuem a ele; Em 1763 passou pela Bélgica, onde relatos contam que transformou ferro em ouro; Em torno de 1773 esteve na Alemanha, transformando, outra vez, metal em ouro e com o nome de Conde Welldone.
Embora documentos digam que o Conde faleceu em 1784, existem rumores que ele teria sido visto em décadas posteriores em diversos lugares, como aludiram, entre outros, Annie Besant e Charles Webster Leadbeater, Teosofistas já falecidos.
Então, se você encontrar um homem com a aparência de 45 anos, que “sabe tudo sobre todas as coisas”, como disse Voltaire, e que fala em imortalidade e coisas do gênero, desconfie, pois pode ser Saint Germain, o Conde Imortal.


* A Santíssima Trinosofia é a única obra deixada, supostamente, pelo Conde. Presente em algumas Livrarias.

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

A Terra é plana


Daniel Shenton tem 33 anos, é americano radicado em Londres, formado em arquitetura pela Virginia Tech e tem a fala calma e pausada.

Ele acredita na teoria evolutiva e no aquecimento global. Tem, em suas próprias palavras, “uma visão bem ortodoxa das coisas” – menos quando o assunto é o planeta Terra.

Shenton é presidente da Flat Earth Society, ou Sociedade da Terra Plana, uma organização que defende e tenta explicar que nós vivemos, na verdade, em um grande disco, com o Sol e a Lua girando sobre nossas cabeças.

Sim. A pequena bola azul no espaço que nós costumamos chamar de lar não é redonda, não gira ao redor do Sol e nem mesmo poderia ser considerada um planeta. Ainda de acordo com a FES, toda essa ideia da Terra ser redonda é parte de uma grande farsa que vem sendo encoberta há séculos. Mas vamos por partes.

A sociedade presidida por Shenton foi fundada oficialmente em 1957. Antes disso, porém, era chamada de “Universal Zetetic Society”. “Atualmente temos 173 membros, porém mais de 30 mil pessoas participam dos nossos fóruns de discussão online”, diz ele. A web é a principal ferramenta do grupo para divulgação de suas ideias.

Segundo Shelton, o presidente anterior tinha uma visão muito mais religiosa e uma postura de “pregação” de ideias bem mais forte do que a sua. “Pessoalmente, não faço isso por nenhuma convicção religiosa, e nem acredito em converter ninguém. Disponibilizamos as informações e gostaríamos que as pessoas considerassem o que lerem”.

No site da entidade há muitos textos explicando como seria possível observar todos os fenômenos naturais (nascer e por do sol, mudança de estações, etc) em uma Terra plana. Basicamente, a Terra seria um grande disco chato, com o pólo norte localizado bem no centro e a antártica formando como um anel de gelo nas bordas, o que impediria o oceano de “cair”.

O sol e a lua, ambos esféricos, girariam acima das nossas cabeças, sendo que a mudança de estação seria causada pelo aumento do tamanho do “Círculo” que o Sol faz (ver ilustração abaixo). Como tanto o Sol e a Lua seriam relativamente pequenos, dia e noite seriam criados simplesmente quando o Sol ilumina ou não uma área.

“Existem muitas hipóteses, mas nós mesmos não temos uma teoria definitiva sobre como todo funciona”, diz Shelton. “Não acho que acreditar em uma Terra plana elimina as leis da Física. Em relação à gravidade, por exemplo, eu pessoalmente acredito que a Terra e o resto dos corpos celestes estão subindo a uma velocidade de 9,8 metros por segundo. Isso teria, em nós, o mesmo efeito da gravidade em um planeta redondo”.

Todas as incongruências na teoria da Terra plana são, aparentemente, explicada com o argumento de que não existe uma única ideia consolidada, ou que ainda não se sabe exatamente como tudo funciona.

Em relação à própria existência de fotos espaciais provando a redondez da Terra, Shelton e outros membros da FES parecem ter uma explicação muito simples: são todos uma mentira.

 Ilustração disponível na página da sociedade mostra como o Sol e a Lua giram sobre o disco-Terra



De Londres, Daniel Shelton falou à INFO Online sobre Teorias da Conspiração, farsas históricas e como, afinal, surgiu seu interesse por uma Terra chata.

INFO Online - Você aprendeu, na escola, que a Terra era redonda?

Daniel Shelton - Sim

- E quando mudou de ideia?

- Quando estava na universidade (Virginia Tech), mais ou menos aos 19 anos. Li um pouco sobre o assunto e comecei a procurar livros a respeito.

- E hoje, você ainda é arquiteto?

- Prefiro manter algumas partes da minha vida pessoal...Não tenho problemas em falar sobre a Sociedades, mas não gosto de envolver, por exemplo, colegas de trabalho nisso..

- Você fala com sua família e amigos sobre isso?

- Converso às vezes. Eles sabem o que penso. Sei que não vou convencê-los e eles sabem que não vão mudar minha ideia.

- Qual parte da Terra ser redonda não faz sentido para você?

- Costumo ir à praia e olhar para o oceano. Ele parece bem plano... E até mesmo a gravidade, entre os cientistas, é muito debatida. O que é? O que a causa? E a teoria da terra plana acelerando para cima dá conta de responder a tudo isso, e ainda é mais esclarecedora.

- E como você explica as fotos tiradas pela Nasa, por exemplo, ou tantas outras agências espaciais, governos...?

- São falsas.

- Então é tudo uma fraude?

- A coisa vem há tanto tempo que seria um escândalo muito grande para as pessoas no poder. Elas perderiam a credibilidade.

- No passado, as pessoas acreditavam em uma Terra plana até que uma série de cientistas começaou a provar que nosso planeta era redondo. O que você está dizendo é que, em algum momento, as pessoas no poder se deram conta de que esses cientistas todos estavam errados e que a Terra era mesmo plana – mas que era preciso manter a farsa?

- Sim. Porque para a maioria das pessoas não faz diferença. Não é importante. Qual a diferença que isso faz na vida delas, ao irem ao supermercado, por exemplo? Mas, para nós, faz...

- Mas essa farsa precisaria envolver todos os governos do mundo, para dizer o mínimo...

- Não acho que todos os governos precisam estar na teoria da conspiração. Mesmo na NASA, se você pensar, nem todos vão ao espaço para ver como é de verdade. Nem todos terão acesso a dados que mostram a verdade. Só pessoas em posições chaves. E aí, tudo o que têm que fazer, é mover a ideia para baixo na cadeia de comando.

- Então quem saberia de tudo? O presidente?

- O alto comando da NASA saberia. O presidente dos EUA não precisaria saber....

- Você precisaria pegar um foguete para acreditar, então, que a Terra é redonda?

- Acho que quando ficar barato pegar um foguete e viajar ao espaço a farsa toda virá à tona. E isso deve acontecer em breve, com as novas tecnologias...

Fonte: Paula Rothman (INFO Online) - Imagens cedidas por Daniel Shelton




.

"No Princípio... o Espírito de Deus Pairava Sobre as Águas..."


SUÍÇA – Cientistas do CERN (Conseil Européen pour la Recherche Nucléaire, Conselho Europeu Para a Pesquisa Nuclear), sediada em Genebra, trabalhando com o maior Colisor de Partículas do Mundo, o Large Hadron Collider, decobriram que logo após o surgimento do Universo (depois do Big Bang, se foi um Big Bang...) – o que se formou foi uma espécie de sopa quente, a uma temperatura de mais 10 trilhões de graus Celsius.

Mas, considerando os atuais tão diversos estados possíveis da matéria, essa sopa não era exatamento um líquido, tal como a água ou a cachaça, por exemplo... Na verdade, era mais como um ambiente pegajoso ao qual os cientistas denominaram Plasma de quarks-glúons. Nesse pântano cósmico formaram-se as primeiras partículas, das quais foram compostos os átomos, as moléculas dos elementos (astro-fisio-químicos), as galáxias, as estrelas... nós.

Esse resultado surpreendeu os Físicos porque contradiz a idéia até então aceita sobre os post-Big-Bang. Acreditava-se que depois da grande explosão primordial teria se formado um ambiente de gás superaquecido e, a partir daí, teria surgido toda a matéria.

O físico de partículas da University of Birmingham, David Evans, principal representandte do Reino Unido no experimento realizado pelo CERN, explica: Na primeira instância de sua existência, o Universo apresentava um "comportamento" [estado material de de um líquido muito denso.

Essa conclusão é o resultado de um experimento realizado por uma super-equipe multinacional, que reúne mais de mil pesquisadores, utilizando o Grande Colisor de Hádrons do CERN. O Acelerador funciona promovendo a colisão de partículas, no caso de átomos de chumbo, dentro de um ambiente controlado, um detector, chamado ALICE. A proposta é criar mini Big-Bangs que pretendem imitar as condições de surgimento do Universo e o estado da matéria-matriz segundos depois da ocorrência do fenômeno.

 
O Acelerador de Partículas é um túnel com 17 milhas (cerca de 27 km) de comprimento, enterrado a 300 pés de profundidade (cerca de 91 metros), logo abaixo do sopé dos Alpes, na fronteira franco-suíça. É um túnel circular. Lá dentro, átomos disparados a alta-velocidade (por isso é um acelerador) sofrem aquecimento extremo. Neste caso, chegando aos 10 trilhões de graus centígrados. Isso, em uma fração de segundo. Nessas condições de aceleração e temperatura, os átomos, antes de mais nada, tomam o aspecto de minúsculas esferas de fogo, ígneas que, ao colidirem, simplesmente deixam de existir, pela fusão entre si, dando lugar a dois novos tipos de matéria particular, os quarks e os glúons.

Há cinco anos, no Relativistic Heavy Ion Colider, localizado em Upton, estado de Nova York – EUA, fez a mesma experiência com a diferença que a temperatura atingida até as colisões era de (apenas) 4 milhões de graus centígrados. A esta temperatura, os quarks e glúons também compuseram um plasma semelhante a um líquido. Porém, os cientistas estavam certos de que com um considerável aumento de temperatura, a substância volatizar-se-ia originando um gás.

O novo experimento do CERN surpreende os cientistas porque os quarks e glúons não se comportaram como era previsto. Evans comenta:


As teorias sugeriam que as forças que mantinham quarks e glúons em interação de matéria líquida, plásmica, começariam a enfraquecer com o aumento da temperatura, a tempweratura que suposmos seria aquela alcançada logo depois do Big Bang. Então, as partículas mover-se-iam livremente, como um gás. Porém, percebemos, agora, que a grande força que une essas partículas [qurks e glúon] mantém seu poder mesmo submetida às temperaturas altas que, esperávamos, liberassem as ligações.
Sim, os cientistas estão surpresos. Têm razão. A ciência confirma a cada dia certos aspectos da realidade que pareciam ser apenas metáforas de textos de livros pseudo-sagrados de algumas religiões. Porém, eis que, tudo indica: no começo, seja lá o que for, "pairava sobre as águas", não pairava em um gás. Meditemos...

FONTE: GRAY, Richard. How the universe evolved from a liquid. [Trad. e adap. L. Cabus]
IN Telegraph, UK publicado em 20/11/2010

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Futuro da Reprodução na Humanidade Andrógina



Cientistas norte-americanos confirmaram o segundo caso de concepção [gravidez] "imaculada" entre tubarões. A informação foi publicada Journal of Fish Biology. O primeiro caso aconteceu em 2007 quando um tubarão-martelo [Sphyrna spp] fêmea ficou grávida sem o concurso de macho, em um zoológico de Omaha, Nebraska.

Nesta segunda ocorrência, biólogos de várias universidades norte-americanas e laboratórios marinhos conduziram a análise de DNA em um bebê-tubarão e não encontraram material genético paterno no animal. Sua mãe, era uma fêmea blacktip, tubarão-galha-preta [Carcharhinus limbatus], chamada Tidbit. Ela viveu no Virginia Aquarium por oito anos e jamais teve um encontro com um macho e nunca apresentou sinais de comportamento reprodutivo ou, da gestação em si mesma. A gravidez foi descoberta acidentalmente. Tidbit morreu e o filhote foi encontrado durante a autópsia.

Dr. Damien Chapman explicou que a partenogênese, desenvolvimento de um embrião sem a fertilização por um macho, não é uma exceção exclusiva entre os tubarões. O fenômeno se manifesta em outras espécies. Recentemente, a partenogênese foi estudada em uma das mais primitivas entre as formas animais: os Rotíferos, são mais de 370 espécies de animais aquáticos microscópicos, de água doce, salobra ou marinha.salgada; datam do período Eoeceno entre 33 a 55 milhões de anos passados. Nos rotíferos a partenogênese é a regra.

Os biólogos supõem que a partenogênese pode ocorrer sempre que o índice de crescimento populacional como a decrescer consideravelmente, ameaçando a sobrevivência de uma espécie. Em alguns casos, torna-se difícil encontrar um parceiro, ou impossível, como no caso dos tubarões-fêmea nascidas e isoladas em cativeiro. Os tubarões-martelo, em particular, nos últimos vinte anos, estão com sua população em decréscimo mesmo em meio natural. O precedente dos tubarões faz pensar sobre o fenômeno em relação à espécie humana.

Os cientistas norte-americanos calculam que a população da Terra, embora no momento ainda pareça em explosão, tende a diminuir consideravelmente até 2050 quando o índice de mortes deve superar significativamente o índice de nascimentos.
O pesquisador Igor Gundarov diz que a libido e a potência dos homens contemporâneos têm diminuído sensivelmente: "80% dos homens casados recusam o sexo com suas mulheres [esposas]. Nos Estados Unidos, 32% das mulheres tiveram notável diminuição da libido durante os anos de 1990; 26% não experimentavam orgasmo e 23% tinham aversão a sexo. O apetite sexual dos caiu 15% entre os yankes de 18 a 59 anos. Médicos norte-americanos apontam o stress e a depressão como causa dessas desordens".

Gundarov faz as contas: "No fim do século XIX [anos 1800] um homem produzia mais de 100 milhões de espermatozóides por mililitro de sêmen. Essa concentração de gametas masculinos começou a despencar no começo dos anos de 1960. Ao longo das décadas, a World Health Organization [Organização Mundial da Saúde] vem mudando os padrões de "normalidade" na contagem de espermatozóides e a média vai caindo: para 60 milhões, 40 milhões em 1983 e 20 milhões de gametas por mililitro em 1992. O cientista pergunta: "Podemos considerar normal um decrécimo de 32 para 24, ou 16, ou apenas 8 dentes na boca?" ...

Igor Kon, cientista-chefe do Institute of Ethnology and Anthropology da Russian Academy of Sciences entende que a crise demográfica é "a combinação de vários fenômenos interagentes. Um deles é, justamente, a diminuição da fertilidade masculina, um sêmen de má qualidade, organismos masculinos com baixos níveis de testosterona. Se o fenômeno persistir a tendência é a extinção do gênero masculino e da reprodução sexual".

"Outro fator, que contribui para o decréscimo populacional, é a esvaziamento da relação [do sentido] biológica entre sexualidade e reprodução. Longe das práticas do passado, baseadas no instinto e nas tradições, os homens [e mulheres] pós-modernos projetam o nascimento das crianças com grande precisão. Têm filhos quando querem; e muitos já não querem. O sexo, em termos biológicos, vai perdendo sua razão de ser, reprodução da espécie; enquanto isso, o valor da sensualidade, da satisfação da libido pelo prazer sensorial em si mesmo é cada vez mais valorizado".

A Natureza pode responder de alguma forma a esse sexo sem frutos, que frustra os objetivos da engenharia biológica vigente; e a resposta pode ser a infertilidade da espécie, ou apenas dos homens, ou de uma mutação na forma de reprodução que contemple a alternativa da partenogênese para homens e mulheres. A cultura sexual do futuro e a transformação dos gêneros, masculino, feminino são imprevisíveis. Talvez o andrógino se torne um padrão em uma curiosa evolução, movimento, da Saga da Humanidade sobre si mesma: pois não afirmam as teologias mais arcaicas e mais secretas que no princípio, o homem era o Divino Hermafrodito, macho e fêmea em só corpo e espírito?

FONTE: And there will be no need in sperm
PRAVDA-ENGLISH publicado em 05.12.2008

A Concepção Imaculada


Cobras sem pai: Uma jibóia, duas ninhadas, 22 filhotes de concepção imaculada.

USA – Uma equipe de cientistas, trabalhando nos Estados Unidos, registrou um caso de "nascimento virgem" em um réptil ofídio, uma jibóia [Boa constrictor]. Embora não seja o primeiro observado em serpentes, esta ocorrência apresentou características peculiares.

O cientista. Dr. Warren Booth da North Carolina University, em Raleigh – US explica: A fêmea, uma boa (jibóia), já experimentou não um mas, até agora, duas gestações e partos virgens... Ao contrário de outros casos de partenogênese observados em laboratório, esta cobra não foi isolada dos machos.

Porém, cuidadosamente observada, apresentou este comportamento anômalo. Embora cortejada pelos quatro machos com quem dividia alojamento, ela recusou a todos. Ainda assim, já teve duas ninhadas nas quais todos os filhotes são fêmeas e portadoras de idêntico código genético.

A prole tem uma coloração peculiar, um tom de caramelo característico de de uma rara doença somente manifestada por ativação de um gene recessivo materno que não poderia resultar denehum cruzamento com os machos do viveiro. É uma das provas definivas dos nascimentos imaculados das proles.

Outro indicativo são os estranhos cromossomos sexuais das ninhadas. Os cromossomos sexuais definem o sexo de animais. Nos seres humanos, são chamados cromossomos X e Y. Todas as fêmeas humanas têm cromossomos sexuais em pares de genes XX. Os machos, pares XY. Portanto, o sexo da prole é uma herança genética paterna.

Nas cobras, são os cromossomos sexuais Z para os machos e W para as fêmeas. Os cromossomos ZZ produzem machos; os ZW, fêmeas. As cobras resultantes do nascimento virgem possuem cromossomos sexuais WW, poasto que todo seu material genético foi herdado da mãe, que não possui genes Z. Essencialmente, elas meio-clones de sua mãe, diz Dr. Booth.

Outro aspecto, mais complexo, porém muito surpreendente é que em nenhum animal vertebrado em cujo processo de reprodução o material genético dos machos determina o sexo da prole, os casos de partenogênese resultam em fêmeas. Todos osfilhotes são machos, ao contrário do que ocorreu com esta serpente.

Essa jibóia tem ainda outros mistérios em sua vida sexual. Ela nunca foi santa! Ou seja, a capacidade de conceber sem manter relações sexuais não se deve a nenhuma virtude moral dessa réptil. Meditemos... Ela já tinha ficado grávida normalmmente antes. Convivia com os machos como qualquer outra naquele ambiente laboratorial. Por isso, para os cientistas, também é um mistério razão pela qual, nestas gestações, a cobra teve a concepção imaculada.

Dr. Booth conta tudo e pondera: No passado, esta fêmea deu à luz bebês sexualmente produzidos. Curiosamente, colocada em isolamento ela não engravidou. Ao que parece, mesmo sendo imaculada a concepção, alguma interação com os machos é necessária. Mas a razão pela qual ...ela não utiliza o esperma, isso é uma incógnita.

O relato deste caso foi publicado no Royal Society Journal Biology Letters. Os nascimentos virgens ocorrem em Natureza entre diferentes espécies de animais. Muitos invertebrados, como insetos, podem gerar prole assexuadamente. Nestes caos, usualmente os animais clonam a si mesmos produzindo herdeiros idênticos à matriz.

Entre vertebrados, as concepções imaculadas também acontecem mas são muito mais raras. Foram documentadas ocorrências em menos de 0,1% de espécies. Entre estas, as mais recentes, registram: em 2006, cientistas descobriram dois dragões de Komodo (Varanus komodoensis), a maior espécie de lagarto do mundo, que produziram ovos sem serem conluio sexual ou qualquer outro modo de fertilização por esperma. Em 2007, uma tubarão-martelo-fêmea (Sphyrna tiburo) em cativeiro, se reproduziu sem contato com machos.



Alo!! - Celulares Assombrados


Assombração também evolui. Até... ontem! fantasmas frequentavam castelos, casarões, ruínas, taperas abandonadas, cemitérios, cadeiras de balanço... Agora! Não! As almas penadas estão usado recursos multimidia de comunicação. Tal como se as ficções fossem profecias do futuro, hoje, como antecipado nas artes, espíritos atormentados manifestam-se pelo rádio, televisão, terminal de computador, telefone!

REINO UNIDO – O investigador de Espectros (espíritos, caça-fantasma mesmo) Phil Hayes, do Paranormal Research, UK – alerta: o número de chamadas misteriosas para celulares e atribuídas a fantasmas aumentou 43% nos últimos quatro anos. Mr. Hayes dedicou um sério estudo ao tema e acredita que um terço das assombrações pós-modernas manifestam-se através de telefones celulares.

Essas chamadas do Além caracterizam-se por uma forte interferência de energia estática; a voz soa fraca, distante. Nove em cada dez casos têm seus números de origem retidos ou, simplesmente, aparece uma seqüência de 12 zeros.

A pesquisa mostrou, ainda, que, atualmente, dois terços das manifestações paranormais de espíritos são realizadas por meio de emissão de sons; somente 20% têm realizado as aparições e 15% ainda usam o recurso e sintetizar algum tipo de perfume.

Metade das assombrações sonoras foram capturadas por meio de gravadores especiais utilizados pelos especialistas porém, 8 por cento, utilizaram televisão ou rádio.

A pesquisa vai além: um em cada três britânicos afirmaram ter visto e registrado uma aparição em foto ou imagens feitas com celular. As ocorrências paranormais deste tipo aumentaram em 70% no último ano [entre 2009 e 2010], sempre com o auxílio de aparelhos de telefonia celular.

Phil Hayes não tem dúvida: Há indícios de que os fantasmas podem usar telefones para se comunicar, com relatos de pessoas que recebem telefonemas de parentes falecidos.

domingo, 21 de novembro de 2010

Máquinas para recriar o Sol na Terra

Cientistas estão desenvolvendo reatores capazes de reproduzir a fusão nuclear que acontece nas estrelas. A ideia é usar essa tecnologia, que não polui, como fonte de eletricidade. Para que isso dê certo, será preciso construir um protótipo capaz de produzir mais energia do que consome.

Grande Aparelho Helicoidal (LHD): nesse reator japonês, o formato espiral facilita a fusão 


Parece ficção científica. 
Num futuro não muito distante, reatores capazes de recriar o Sol vão fornecer eletricidade para o seu notebook, sua TV e as lâmpadas da sua casa. Essas máquinas serão capazes de unir átomos de hidrogênio e transformá-los em hélio, como fazem as estrelas. Por esse processo – a fusão nuclear -, libera-se uma enorme quantidade de calor, que servirá para produzir eletricidade. E há uma vantagem importante em comparação com outras fontes de energia: não poluir o meio ambiente nem deixar resíduos radioativos que duram centenas de anos. As pesquisas nesse campo têm avançado rapidamente, atraindo investimentos de países como Estados Unidos, Índia, Japão e Brasil.

Desenvolver esses complicados aparelhos pode ajudar a suportar a alta demanda por energia no futuro, sem ampliar as emissões de carbono e, consequentemente, o aquecimento global. Um relatório divulgado no asso passado pela Agência Internacional de Energia (IEA) estima que o consumo de eletricidade no mundo aumente 76% entre 2007 e 2030 – impulsionando pelo crescimento da população e por uma sociedade cada vez mais digital, conectada e ávida por eletrônicos. A principal fonte utilizada continuará a ser o carvão queimado em termoelétricas, cuja participação na matriz energética mundial subirá de 42% para 44% no período. Até lá, as fontes renováveis vão passar de 18% para apenas 22% do total. 30 bilhões de euro é o custo total de construção e operação do reator.

Evolução da espécie
Se não houver atrasos, o reator começará a funcionar dentro de oito anos. A expectativa é que o aparelho consiga gerar dez vezes mais eletricidade do que consumirá durante a operação. Os resultados vão permitir que seja construído o Demo – primeira planta comercial de fusão, que fornecerá energia a partir de 2040. 200 km seria a distância entre núcleos de dois átomos de hidrogênio se o próton medisse 1cm.

Calor infernal
Para favorecer as colisões, é necessário aquecer o plasma a 150 milhões de graus Celsius – dez vezes a temperatura no núcleo do Sol. Sistemas de injeção de partículas e ondas de rádio esquentam o reator.






.

terça-feira, 16 de novembro de 2010

5 Soldados reais que fazem o Rambo parecer uma menininha!

Audie Murphy
Quem era ele?
Quando Audie Murphy se alistou para a Marinha em 1942 na idade de 16, ele tinha 1 metro e 60 e pesava pouco mais de 50 quilos. Eles riram da cara dele. Então ele se alistou na Força Aérea, e eles também riram da cara dele. Então ele se alistou no Exército, e o exército refletiu que poderiam sempre usar um peão para absorver o poder de fogo do inimigo, então o deixaram entrar. Ele não era particularmente bom naquilo, e na verdade eles tentaram transferi-lo para a cozinha, depois que ele desmaiou na metade do treinamento. Ele insistiu que queria lutar.

Durante a invasão da Itália ele foi promovido para corporal graças a suas incríveis habilidades de tiro, e nesse mesmo período, contraiu malária, que ele teve durante quase toda a guerra. Tente se lembrar desse detalhe…

Ele foi enviado para o sul da França em 1944. Ele encontrou um pessoal de artilharia Alemã que fingia estar se rendendo, então atiraram em seu melhor amigo. Murphy ficou completamente doido, matou todos no ninho de artilharia e depois usou suas armas para matar cada coitado em um alcance de 100 jardas, incluindo mais dois ninhos de artilharia e um grupo de snipers. Eles lhe deram condecorações e o tornaram comandante, enquanto todos se desculpavam por chamá-lo de “baixinho”.


Quase um ano depois, sua companhia recebeu a missão de defender Colmar Pocket, uma região crítica na França, mesmo que tudo que eles tivessem fossem 19 caras e dois M-10 Tank Destroyers.

O Alemães apareceram com uma caralhada de soldados e meia dúzia de tanques. Já que reforços não iriam chegar por um bom tempo, Murphy e seus homens se esconderam em uma trincheira e enviaram os M-10s para fazer o trabalho pesado. Eles foram dizimados em pedaços.

Então, este garoto com um metro e 60, raquítico e cheio de malaria, correu para um dos M-10s destruídos, subiu na traseira e tomou controle da metralhadora calibre.50 acoplada em cima do tanque e começou a matar todo mundo à vista. Um detalhe é que o M-10 estava em chamas e tinha um tanque cheio de gasolina, o que o tornava uma armadilha mortal.
Ele continuou por quase uma hora até que estivesse sem balas, então se afastou de volta até seus homens enquanto o M-10 explodia no fundo, estilo Mad Max. Eles lhe deram literalmente, todas as medalhas que podiam (33 no total, apesar de que ele tinha algumas “repetidas”, mais 5 da França e 1 da Bélgia), incluindo a Medalha de Honra.

Depois da Guerra, ele sofreu stress traumático pós-guerra, e lhe foi prescrito o antidepressivo Placidyl. Quando ele ficou viciado no remédio, em vez de entrar em um programa como uma menininha, ele optou pelo caminho frio e solitário, se trancou em um quarto de hotel por uma semana e superou o problema como o pequeno minúsculo filho da puta com nervos de aço que ele era. Ele escreveu uma autobiografia intitulada “Ao Inferno e de Volta”, e depois se tornou um ator.

Ele interpretou a si mesmo em um filme sobre suas ações, porem, teve que cortar mais da metade das cenas que mostravam seus heroísmos, pois temia que ninguém acreditasse e achariam que ele estaria tentando se promover.


Alvin York 
Quem era ele?
Nascido em uma família de fazendeiros caipiras do Tennessee, Alvin York passou a maior parte de sua juventude ficando podre de bêbado e entrando em brigas nos bares. Quando seu amigo morreu em uma dessas brigas, ele largou a birita e se tornou um pacifista. Ele foi chamado para servir, tentou evitar, mas foi enviado para o treinamento básico.Um ano depois, ele era um dos 17 homens designados para se arrastarem furtivamente e tomar um acampamento fortificado com artilharia pesada (metralhadoras), guardando uma rodovia Alemã. Conforme se aproximavam, os atiradores os enxergaram e abriram fogo, destroçando nove deles em pedaços.

Os poucos sobreviventes que não possuíam culhões de ferro entre suas pernas, fugiram, deixando York parado lá, sob fogo de 32 metralhadoras pesadas.Como ele contou mais tarde em seu diário; “Eu não tinha tempo para desviar por trás de árvores, ou mergulhar em arbustos, nem para me ajoelhar ou deitar. Não tinha tempo para fazer qualquer coisa, a não ser assisti-los atirando e lhes dar o melhor que eu podia. No começo, eu estava atirando deitado, como costumávamos atirar nas partidas de tiro ao alvo do Tennessee. Era a mesma distância, só que com alvos maiores. Naquele momento, eu não podia errar o corpo ou cabeça de um alemão. E eu não errei.”

Depois de matar mais ou menos 20 homens, um Tenente alemão, mandou 5 caras juntos, para tentar matá-lo pelos flancos. York puxou seu revólver Colt .45 (que só tinha 8 balas) e matou todos eles.

A essa altura o Tenente Paul Jurgen Vollmer gritou perguntando se York era Inglês. Veja que na 2ª Guerra, ninguém realmente levava os americanos a sério, e todos os viam como os novatos. Vollmer deduziu que esse soldado louco/fodástico/cheio de culhões deveria algum tipo de Super Homem Inglês que estava mostrando para os maricas americanos como se fazia. Quando York disse que era Americano, Vollmer replicou “Santo Deus! Se você parar de atirar, eu ordenarei que meus homens se rendam!”Dez minutos depois, 133 homens vieram andando, o que havia restado do batalhão de York. O Tenente Woods, superior de York, no começo achou que era uma emboscada alemã, até ver York que o cumprimentou e disse; “Soldado York se apresentando com prisioneiros, senhor!” Quando o estupefato oficial perguntou quantos eram, York disse “Honestamente tenente, eu não sei…”

Jack Malcolm
Um comandante aliado na Segunda Guerra Mundial, e um ávido fã de surfe. Capitão Jack Malcolm Thorpe Fleming Churchil, também conhecido como “Lutador Jack Churchil” e “Jack Insano” era basicamente o desgraçado mais doido de toda a guerra.Ele se voluntariou para uma missão, não sabendo ao certo no que se envolveria, mas sabendo que parecia perigoso e portanto, divertido. Ele era conhecido por dizer que “Qualquer soldado que entrar em ação sem sua espada está vestido impropriamente.” E sempre levava sua espada para a batalha – no meio da Segunda Guerra… E não era uma daquelas espadinhas gays que os oficiais da Marinha possuíam. Jack carregava uma porra de uma Claymore (espada escocesa usada com as duas mãos), sendo que ele a usava na guerra…

Ele capturou um total de 42 Alemães e um esquadrão de morteiro, durante a noite, usando apenas sua espada. Simplesmente usando um corpo de um soldado inimigo e sorrateiramente indo de um posto de vigia até o outro e enfiando sua espada na cara de cada soldado.
Quando indagado como havia conseguido aquilo, ele disse: “Eu matenho que, contanto que você diga para um alemão, alto e claro o que fazer, se você for mais velho que ele, ele resmungará ‘jawohl’ (sim, senhor) e fará o que você disse com entusiasmo e eficácia, independente da situação.”

Também famoso por aparecer de surpresa em campos alemães, montando uma motocicleta e usando nada além de um arco-e-flecha e sua espada, e estuprando o campo inteiro. Ou ainda por resgatar um soldado britânico de uma emboscada, mesmo depois de ter sido atingido no pescoço por uma metralhadora montada.

Após ser enviado para um campo de concentração, ele ficou entediado e saiu. Simplesmente caminhou pra fora. Eles o pegaram de novo e o mandaram para um novo campo. Então ele saiu de novo. Depois de caminhar 150 milhas com apenas latas enferrujadas de cebolas como comida, ele foi pego por americanos e enviado de volta para a Inglaterra, chegando lá ele exigiu ser enviado novamente ao campo de batalha, apenas para descobrir (com grande decepção) que a guerra havia terminado enquanto ele estava no caminho até lá. Como ele disse para seus amigos depois “Se não fosse pelos malditos ianques (americanos), nós poderíamos manter a guerra por mais 10 anos!”

Yogendra Singh Yadav 
Quem era ele?Yogendra Singh Yadav era um membro do batalhão granadeador indiano, durante o conflito em Paquistão em 1999. A missão deles era escalar a “Colina do Tigre” (uma montanha foda), e neutralizar os 3 abrigos inimigos no topo. Infelizmente, isso significava subir a montanha enorme de puro gelo. Como eles não queriam subir tudo aquilo com picaretas de gelo, eles decidiram que iriam mandar um cara até lá, e ele iria descer as cordas, para que todo mundo pudesse subir do jeito mariquinha.


Yadav tendo culhões de aço, se voluntariou.

Metade do caminho pela subida do inferno gelado, inimigos se posicionaram numa montanha adjacente, e abriram fogo, atirando neles com RPG (lança-mísseis), depois fuzilando com rifles de assalto. Metade do seu esquadrão foi morto, incluindo o comandante, e o resto se espalhou totalmente desorganizados. Yadav, apesar de ter sido baleado 3 vezes, continuou escalando..Quando ele atingiu o topo, um dos abrigos inimigos que era o alvo, abriu fogo contra ele com metralhadoras. Yadav correu em direção da chuva de balas, atirou uma granada pela janela e matou todos lá dentro. A essa altura, o segundo abrigo tinha uma mira limpa e abriu fogo, então ele correu até eles, absorvendo todas as balas enquanto fazia isso, e matou quatro homens fortemente armados, com as mãos vazias.

Enquanto isso, o restante de seu batalhão estava parado olhando para ele e dizendo “cara, puta que pariu!” Então todos foram juntos e renderam o terceiro abrigo sem problemas.

Por sua proeza e quantidade de culhões, ele foi condecorado com o Param Vir Chakra, o maior prêmio militar da Índia. Diferente da Medalha de Honra dos EUA, o Param Vir Chakra só é dado para os mais “raro dos raros soldados que vai além do dever patriótico e que em vida normal seria considerado impossível de se obter.” Exatamente, você precisa quebrar as leis da realidade só pra que se torne possível possuir a medalha.
 Somente 21 pessoas foram condecoradas com ela, e dois terços morreram no processo. No começo havia sido reportado que Yadav também havia morrido, mas parece que eles o confundiram com alguém menos fodásico. Ou eles apenas deduziram que nenhum ser humano poderia sobreviver uma perna quebrada, um braço destroçado e 10-15 buracos de balas em carne fresca, de uma só vez.
PS: Ele tinha apenas 19 anos na época em que fez todas essas proezas dignas de um ciborgue programado para matar.


Simo Häyä - A morte branca
Simo Häyä tinha uma vida bem entediante na Finlândia. Ele serviu um ano mandatório no exército, e então se tornou fazendeiro. Mas quando a União Soviética invadiu sua terra natal em 1939, ele decidiu que queria ajudar seu país. Já que a maioria das lutas ocorriam nas florestas, ele achou que o melhor jeito de impedir uma invasão era pegar seu rifle de confiança, duas latinhas de comida e esconder-se em uma floresta o dia inteiro, atirando em russos. Sob dois metros de neve. E 20-40 graus abaixo de zero.
É claro que quando os Russos ouviram que dezenas de seus homens estavam sendo apagados, e que era só um cara com um rifle, eles ficaram assustados pra caralho. Ele ficou conhecido como a “Morte Branca” por causa de sua camuflagem branca, e eles chegaram a montar missões inteiras apenas para matar esse único cara. Eles começaram mandando uma força especial para achar Häyä e matá-lo. Ele matou a todos eles. Então eles tentaram juntar um grupo de counter-snipers (que são basicamente snipers que matam snipers) e os mandaram para eliminar Häyä. Ele eliminou todos também.

No decorrer de 100 dias, Häyä havia matado 542 pessoas com seu rifle. Ele derrubou mais 150 com sua metralhadora SMG, mandando sua contagem de corpos para mais de 705, um recorde universal que dificilmente será ultrapassado nessa nossa realidade.Já que todos os homens que eles tinham estavam ou muito assustados, ou muito mortos para chegar perto dele, os russos decidiram simplesmente bombardear todos os lugares onde acharam que ele poderia estar. Supostamente eles acertaram o local, e ele foi atingindo por uma nuvem de fogo que destruiu suas vestimentas e tudo ao seu redor, mas não o matou, por que ele é a maldita Morte Branca, é claro.

Finalmente em 6 de Março de 1940, algum bastardo de sorte acertou Häyä na cabeça, com uma bala explosiva. Quando os outros soldados o encontraram e o levaram para a base, ele “tinha perdido metade da cabeça”. A Morte Branca havia finalmente sido abatida… (…) por mais ou menos uma semana.
Apesar de ter sido diagnosticado com um caso severo de síndrome de-tiro-no-meio-da-cara, ele ainda estava bastante vivo e recuperou a consciência em 13 de Março, o mesmo dia em que a guerra acabou, Simo Häyä morreu em 2002, em sua casa, anos depois do seu “acidente”.

Thomas Edison e o telefone para falar com os mortos

A morte com seu brilho mistérioso chama a atenção de muita gente, tanto que temos até um dia de finados. Pois este mistério também chamou a atenção de Thomas Edison, de fato, na década de 1920, ele comentou em uma revista que estava trabalhando na construção de um telefone que permitia falar com os mortos.



 Não existe nenhuma informação de que ele tenha fabricado algum protótipo deste invento, motivo pelo qual Edison poderia estar caçoando dos leitores desta revista, ainda que também seja possível que depois da sua morte -em 1931- tenha trabalhado nesse invento, mas desta vez desde o outro lado, para falar com os vivos.

Mas a piadinha de Edison teve desdobramentos, a revista recebeu 600 cartinhas com respostas aos comentário do inventor. Entre elas, Gerald Fabris, o comissário do Museu de Gravações Sonoras do Parque Histórico Nacional Thomas Edison, selecionou as 10 melhores, que cito a seguir:

1. Muito tarde! Os fantasmas já estão trabalhando na mesma máquina.
2. Este telefone nos matará a todos! Precisamos crer em Deus e na imortalidade!
3. Os mortos não têm memória, de modo que acho que não é possível se comunicar com eles.
4. Como posso obter um destes telefones? Quero revendê-los quando chegarem às lojas.
5. Como a máquina funciona?
6. Burros, obviamente não é possível falar com os espíritos a não ser por intermédio de um médium.
7. Outra máquina para falar com os mortos? Bobagem, já tenho uma dessas!
8. Tenha muito cuidado, senhor Edison! Os espíritos que contestariam a este telefone são maus!
9. Sou médium, pelo que: não duvide em me chamar se precisar de ajuda, Sr. Edison!
10. Apoiamos com toda fé e de todo coração a criação desta máquina!

O mais interessante é que três cartas desta seleção eram de pessoas com formação científica.

Se você está se perguntando sobre a imagem que ilustra este artigo: trata-se do Psycho-Phone, um aparelho do Século XX inventado por A.B. Saliger, que aparentemente permitia fazer o mesmo proposto por Edison.

À margem disto, se em pleno século XXI inventassem um dispositivo hipoteticamente funcional deste estilo, como você reagiria? Com quem iria falar?

domingo, 14 de novembro de 2010

A Pata de Coelho


Por que a pata de coelho é um amuleto?
No oeste europeu, antes de 600 AC, os homens consideravam os coelhos animais sagrados, por crerem que espíritos habitavam o corpo de animais e também por crerem que o homem descendia diretamente desses animais.

Depois, os celtas adotaram parte dessas antigas crenças, que coelhos eram sagrados e que espíritos habitavam seus corpos. Os celtas baseavam sua crença no fato destes animais passarem muito tempo em suas tocas, acreditando que os corpos dos coelhos fossem habitados por espíritos do subterrâneo, com os quais se comunicavam.

Outra razão dos celtas acreditarem na sacralidade dos coelhos foi por causa de seu poder de procriação. Acreditavam que os coelhos eram símbolos da reprodução e, por conseqüência, da saúde e prosperidade. Já que os coelhos em si eram considerados como sendo de sorte, seguiu-se que qualquer parte de seu corpo também seria

O que todo mundo sabe

Por Jeff Wagg, coordenador de comunicação da Fundação Educacional James Randi

Todo mundo sabe… que você precisa arrumar a cama.

Todo mundo sabe… que você deve lavar a galinha antes de cozinhá-la.

Todo mundo sabe… que a maionese estraga rápido.

Todo mundo sabe… que o que costumávamos saber antes está errado, e o que sabemos agora está certo.

As pessoas estão comumente erradas. Especialistas são apenas tão bons quanto seu conhecimento, observações e habilidade de interpretar o que vêem. Nos três casos acima, estudos e novas ideias substituíram o que “todo mundo sabe” com novos conhecimentos – e descobriu-se que estavam todos errados.

Embora arrumar a cama pareça limpo, cientistas sabem há anos que arrumar sua cama aumenta a multiplicação de ácaros. Durante a noite, você sua e esta umidade é absorvida pela cama. Por sua vez esta umidade fornece um ambiente hospitaleiro para que ácaros se multipliquem enquanto se alimentam de suas células de pele mortas. Se as concentrações deles aumentarem muito, você pode sentir alguma coceira ou outros sintomas de seus excrementos. Para melhores resultados, não arrume sua cama, o que a ajuda a secar durante o dia.

Já com relação à galinha, também se sabe há tempos que lavar uma galinha crua aumenta a chance de intoxicação alimentar. Por quê? Porque a carne e pele de galinha estão geralmente cobertas com patógenos nocivos. Enquanto cozinhar a galinha mata estes patógenos, lavar a galinha apenas os espalha pela pia, balcão, tábua de cortar… e suas mãos. É muito melhor manusear a galinha o menos possível e então lavar suas mãos e tudo mais que entrou em contato com a galinha.

E se você está pensando em fazer salada de galinha com essa galinha, saiba que a maionese é um preservante, não algo que faz com que a galinha estrague mais rápido. A maionese tem um pH de 3.7, que é acídica o suficiente para retardar a propagação da maior parte das bactérias. Isso não significa que a comida deva ser deixada fora da geladeira – as bactérias irão acabar se propagando. Mas saiba que se você passar mal, era provavelmente a culpa da galinha ao invés da maionese.

Exceto que não sabemos, sabemos? Aposto que muitos de vocês acreditavam em algumas, se não todos estas doses de sabedoria. O fato de que são “tradicionais” e, arrisco dizer, “sabedoria antiga”, não afeta o fato de que de acordo com a melhor informação disponível hoje, são todas falsas.

No entanto muitos diriam que não atualizemos o que “sabemos” com base em novas informações. Defensores de “artes antigas” como homeopatia, Ayuverda, sangrias, os quatro humores, acupuntura e frenologia falham em abraçar esta ideia.

A ciência não é sobre o que sabemos, mas sobre como sabemos. E sabemos que enquanto acumularmos mais informações, teremos uma visão mais acurada da forma como o mundo funciona.

E isso significa… que não preciso arrumar mais a minha cama. Viva a ciência!

Coin Stacking

Todas essas de moedas formam uma estrutura… sem nenhuma cola! É a arte de empilhar moedas, ou “coin stacking”, em inglês,  projetos que podem ser criados simplesmente empilhando moedas.

Os Repitilianos

Se o ex-apresentador da BBC David Icke virasse teórico de conspiração e escritor de ficção científica, ele diria que o mundo não é dominado por aliens ou seres iliminados, mas sim por pessoas lagarto que vivem em baixo da terra. A família real britânica, a família Bush e outras pessoas poderosas são lagartos disfarçados, trabalhando em conjunto para alcançar o poder absoluto sobre o mundo dos homens. Estes lagartos viveriam embaixo da superfície terrestre, que supostamente é completamente oca e iluminada por um segundo sol "central". Por milhares de anos, eles representariam deuses, explicando a fixação de muitas culturas antigas tinham com lagartos, mas desde então têm pela sua abordagem à dominação humana conseguir papéis chaves em partidos políticos, na mídia e outras organizações que adoramos odiar.Então, como vamos saber se alguém é uma das pessoas lagarto ou não? Aparentemente está tudo em seus olhos, pois é a única evidência para esta teoria insana.

A Conspiração Marte

A idéia de vida em Marte tem sido parte da cultura popular durante uma centena de anos, então fomos todos amargamente desapontados quando as primeiras imagens da superfície marciana voltou mostrando nada além de areia e pedras. Mas ainda há uma boa quantidade de evidências que sugerem que Marte já teve ou ainda tem vida. O mais famoso é o caso das formações rochosas na área do planeta chamada Cydonnia.. Várias pirâmides estão nessa área, ao lado do famoso "rosto de Marte". Embora seja perfeitamente possível que uma montanha poderia tomar essa forma naturalmente e coincidentemente, ainda não há explicação para a geometria e aparentemente não natural construção das pirâmides em Cydonian. Esta em si não é uma prova suficiente para provar que Marte já foi o lar de uma civilização há muito tempo, mas uma aparente abundância de rostos, pirâmides e outras estruturas interessantes em toda a superfície de Marte certamente nos deixa curiosos.Então, por que a NASA não dirigiu uma de suas sondas para esses locais interessantes. Certamente o enorme interesse público em Cydonia garantiria uma maior investigação. Ou eles estão escondendo algo de nós? Quando os britânicos enviaram uma embarcação de desembarque para procurar sinais de vida em Marte, a única parte da embarcação que foi construída na América (o pára-quedas) falhou, fazendo com que essa fosse perdida. Poderia ter sido sabotagem?

Nazistas na Antartida

Nós sabemos que os nazistas tinham a tecnologia de foguetes muito antes de os E.U.A ou os soviéticos. Alguns afirmam mesmo que eles queriam ir para a lua. Mas foram os nazistas que construíram UFOs? Alguns ufólogos acreditam que sim. Na corrida por Berlim, os soviéticos acharam um centro de investigação secreto nazista, onde um suposto protótipo de disco voador foi encontrado. Além disso, em grande escala, naves também estava em construção lá, utilizando peças fabricadas pelas principais empresas de tecnologia alemã, como a BMW. A teoria da conspiração vai mais longe, afirmando que os nazistas tinham, de fato construído várias dessas naves, talvez, em junto com uma inteligência alienígena. Estas naves avançadas foram transportados, no final da guerra, para uma base secreta na Antártida, de onde eles continuam a operar hoje. Entendeu? OVNIs não são pilotados por extraterrestres ou soviéticos - eles são pilotados pelos nazistas da Antártida.

A Conexão Alien.

Como o grande avistamentos de UFOs na década de 1950 e 60 foi muito comum, acreditavam que o governo E.U.A. tinha sido contactado e secretamente conivente com uma área de controle e influência Alien.Eles estão construindo seus próprios discos voadores na Área 51? Eles estão secretamente ajudando os aliens a fazer experimentos na população (e nos bovinos)? Eles estão encobrindo a maior história da humanidade? Ninguém pode mesmo ter certeza. Embora a idéia de aliens ditar a política do governo é meio inacreditável para a maioria das pessoas, muitas têm a opinião de que se o governo americano estivesse entrado em contato com os aliens, eles não nos contariam sobre isso.

HAARP

Em algum lugar no fundo da paisagem de neve do Alasca se encontra uma base de pesquisa do governo americano conhecido como HAARP. O propósito do HAARP é, não só para monitorar, mas também manipular a ionosfera. Existem especulações de que o projeto HAARP seria uma arma dos Estados Unidos, capaz de controlar o clima provocando inundações e outras catástrofes. Em janeiro de 2010, setores da imprensa venezuelana afirmaram que o terremoto de 2010 no Haiti poderia ter sido causado por armas produzidas pelo projeto HAARP. Os efeitos desta maquina podem provocar desde mudanças no clima (com tempestades, furacões, relâmpagos) até mudanças no comportamento humano sob influência do forte efeito eletromagnético (EMI – Eletro Magnetic Interference). Esse transmissor eletromagnético funciona na faixa de freqüência do cérebro humano, que é extremamente baixa, possibilitando que seus operadores enviassem pensamentos dirigidos diretamente à cabeça das pessoas, manipulando, excitando, deprimindo ou reprimindo, induzindo rendição, obediência, suicídio. Modernas simulações realizadas em computadores da série Cray demonstram a enorme variação e turbulência que ocorre na Ionosfera durante uma 'tempestade geomagnética solar'. Enfim, o projeto visa controlar estes eventos, um poderoso instrumento capaz de alterar o clima em certas regiões, podendo eliminar o sistema de comunicação de um país e induzir a comportamentos 'estranhos' na população e o aniquilamento de equipamentos militares eletrônicos através de Pulsos Eletromagnéticos (PEM) controlados.

11 de Setembro foi planejado pelo governo americano.

Torres gemeas foto Torres gemeas

Abaixo apresentamos várias evidências sobre o fato de que a derrubada das torres de Nova Iorque NÃO foi feita por terroristas:

1) No dia seguinte à derrubada, o governo dos EUA já tinha nome, endereço e fotos dos "terroristas". Por que não os pegaram antes então?

2) Já havia câmeras de TV profissionais colocadas estratégica, dissimulada e sorrateiramente para transmitirem o evento a todo o mundo, desde o seu início, em vários ângulos.

3) Os "atentados" aconteceram antes das 09:00, hora local, quando a maioria dos funcionários nem tinha chegado ainda, já que nos EUA a hora de trabalho começa por volta das 10:00 da manhã.

4) Mais de 80% dos trabalhadores das torres eram de imigrantes e, sabe-se bem, que os EUA não têm simpatia por imigrantes e não os recebem bem.

5) Existe uma informação não confirmada de que cerca de 3.000 trabalhadores judeus das torres não foram trabalhar naquele dia.

6) Você viu alguma lista de passageiros dos dois aviões ser divulgada? Claro que não, pois ninguém viu.

7) Sempre que há um acidente aéreo, familiares e amigos vão aos aeroportos buscar notícias sobre os passageiros. Você viu isso acontecer? Claro que não, ninguém viu, pois nada foi divulgado sobre isso, já que não havia o que divulgar. Aqueles aviões voaram por controle remoto. Sabemos que isso já é tecnologicamente possível hoje em dia.

8) O número dos vôos daqueles aviões era 093 e 011. Segundo foi divulgado o 093 devia ser relacionado ao ano de 1993, quando uma bomba explodiu na garagem de uma daquelas torres e, o número 011, deveria ser relacionado ao próprio dia 11 de setembro. Cá pra nós, acredito que seqüestrar um avião deve ser uma tarefa muito difícil; seqüestrar dois aviões deve ser mais difícil ainda; seqüestrar dois aviões no mesmo dia e horário deve ser bem mais complicado. Será que os terroristas ainda iriam ter exigência para escolher os números de vôos? Qual a vantagem disso pra eles? Seria a de aumentar a complicação? Nenhuma vantagem nem importância, claro! A ligação desses números aos "atentados" só tem serventia àqueles que pretendem montar e forjar provas contra alguém.

9) Sempre quando um grupo de terrorismo verdadeiro faz algum atentado,imediatamente esse grupo reivindica o atentado para si, pois isto traz prestígio àquele grupo. Você viu algum grupo fazer isso? Claro que não, nenhum grupo reivindicou aqueles "atentados". Mais uma evidência de que não há sentido em relacionar os números 093 e 011 aos "atentados" e atribuir os "atentados" a um grupo de terrorismo não-oficial. E o fato de ter ficado em aberto quem realmente praticou aqueles atos, faz com que os EUA ataquem todo mundo indiscriminadamente, isto é, bombardeiem os países cujos governantes eles têm interesse em derrubar. Se um grupo tivesse assumido os "atentados" então os EUA seriam forçados a combater somente tal grupo, o que não é de interesse pra eles, pois era pra deixar tudo em aberto mesmo para "terem" o perverso "direito" de atacar quem quiserem.

10) Seqüestrar e manter esses aviões seqüestrados apenas com canivetes ou faquinhas e sem nenhuma arma de fogo em punho parece ser tarefa cinematográfica e difícil de imaginar que nenhuma reação tivesse sido tomada com efeito.

11) O dia escolhido para os "atentados" foi o 11 de setembro ou 11/9. Porém, os países de fala inglesa invertem a ordem e escrevem 9/11. Este número coincide com o número 911, adotado e conhecido nos EUA como o número de emergências.

12) A área das torres, desde há muitos anos, já era deficitária economicamente.

13) Agora vamos analisar tecnicamente a queda das torres. Todo mundo viu e percebeu que as torres caíram como implosões perfeitas. Todo mundo estranhou isso. Mas, deixando as primeiras impressões de lado, vamos verificar como as torres foram construídas e entender as explicações técnicas dadas para as suas quedas quase perfeitamente verticais, sendo que os escombros ficaram exatamente dentro da área do respectivo terreno. As duas torres foram construídas diferentemente dos prédios de alvenaria. Elas eram formadas por 4 vigas de aço, uma em cada quina do prédio. Em cada andar e em cada uma dessas vigas saíam suportes, sobre os quais, os andares formados por camadas de aço, eram suportados. A explicação técnica divulgada foi a de que a laje mais superior, de camada bem espessa e pesada que servia para manter a estabilidade das torres contra o vento, com a debilidade dos andares do impacto começou a descer, a derrubar e a empurrar um andar sobre o outro, fazendo então os prédios caírem verticalmente. Embora seja difícil acreditar que abalos daquela ordem produzam efeitos tão ordenados, vamos,mesmo assim, aceitar como verdadeiras e válidas tais explicações bem como as quedas tão verticais e localizadas, já que as torres tinham construção não-convencional. A questão mais importante vem agora. Trata-se do terceiro prédio, aquele menor e que ficava atrás das duas torres. Este terceiro prédio foi construído de alvenaria e de forma convencional. A explicação para a sua queda foi a de que os abalos produzidos nas duas torres geraram abalos sísmicos equivalentes a de um terremoto e estes então derrubaram aquele prédio. Vocês viram como aquele prédio caiu de forma perfeitamente vertical, como uma implosão mais do que perfeita? Vocês também percebem como a mídia pouco mostra e pouco se refere àquele terceiro prédio? É incrível, pois os terremotos sempre ocasionam quedas laterais dos prédios afetados,nunca tão verticais. E, por que, esse terremoto escolheu um único prédio daquela área?

14) Há  uma foto que apresenta uma vista aérea da área das torres, porém, mostrando uma imagem invertida, ou seja, vendo-se em primeiro plano o "terceiro" prédio e depois as torres. Fica fácil de perceber e entender através desta foto que esse terceiro prédio simplesmente estava atrapalhando a área física do terreno das torres. E agora, recentemente, sabe-se que eles vão construir naquela área o maior edifício do mundo. Será que a área das torres não estava precisando ser limpada?

15) Portanto, já se nota que a derrubada das torres e do terceiro prédio atendeu e resolveu várias finalidades:
a) colocar a culpa em terroristas e, mesmo sem prova nenhuma e com simples menção às torres, tentar justificar os ataques e invasões dos EUA contra Estados soberanos, dominá-los e obter as suas riquezas diretamente;
b) a toda invasão feita pelos EUA eles invocam os "atentados" às torres ou aos terroristas.Ronald Reagan impressionava seu povo dizendo que a Nicarágua (!) iria invadir os EUA, a mídia insistia nisso e o povo bacon-com-hamburguer-e-batata-frita acreditava;
c) limpar o terreno e resolver o problema da área economicamente deficitária, onde agora entendemos que o mesmo precisava ser utilizado para a construção de prédios mais altos e mais modernos do mundo, para eles mostrarem e imporem a sua pujança, cuja "pujança" cultural, porém, sucumbiu aos níveis mais baixos e bárbaros da história humana;
d) eliminaram alguns imigrantes e dificultaram ainda mais a entrada de outros;
e) com os ataques bélicos e invasões, usaram a ONU para desarmar o Iraque e a desmoralizaram mais do que já estava, ou melhor, eles vão se servir dela quando precisarem novamente e fizeram a ONU e o resto dos países de trouxa;
f) com as invasões e ameaças dividiram a União Européia, mais do que já era dividida;
g) desejam eliminar todos os mandatários e países que não se alinham com as políticas anti-democráticas norte- americanas, inclusive fazendo embargos criminosos;
h) colocaram todos os países em estado de alerta e trouxeram de volta a corrida armamentista, tendo o Bush e o Dick Cheney, por exemplo, interesses nas indústrias do petróleo, construção civil e de armamentos dos EUA.

16) A conspiração para botar a culpa em outros não é nova naquelas bandas de lá. Na década de sessenta, a CIA propôs a John Kennedy um plano para matar 2.000 americanos com o fim de culpar Cuba, mas JFK não aceitou.

17) Dick Cheney, vice-presidente dos EUA no governo de Bush-filho, foi diretor da CIA no governo de Bush-pai.

18) Bill Clinton disse que Bush é um "animal político, capaz de fazer de tudo para se eleger".

19) Mentira é o que não falta para os Estados Unidos:
eles utilizam todo o poder da mídia a seu favor para invadir e destruir países de forma bárbara bem como despreza o resto do mundo com o falso pretexto de encontrar armas de destruição em massa, mas exatamente os EUA usaram bombas nucleares de urânio na Guerra do Golfo e também na invasão ao Iraque em 2003 (Jornal da Band, 15/04/03). A fumaça em forma de cogumelo, característica e exclusiva de bombas nucleares, pôde ser vista claramente durante os bombardeios dos Estados Unidos sobre Bagdá. Mas isto é minimizado e escondido por eles e pela mídia e tudo fica por isso mesmo.


---------------------
 Atualização
---------------------

1. Por que ninguém viu o avião que caiu no Pentágono?

De acordo com a versão oficial, um dos quatro aviões seqüestrados pelos terroristas no dia 11 de setembro de 2001 foi lançado sobre o Pentágono, símbolo do poderio militar norte-americano. À velocidade de 560 quilômetros por hora, o avião (um Boeing 757 da American Airlines) teria atravessado três dos cinco anéis concêntricos que formam a construção, transformando o concreto reforçado que protege cada um dos anéis em “mingau” – termo usado em um documento oficial do próprio governo americano sobre o episódio. Morreram as 64 pessoas que estavam no avião e 125 que se encontravam no interior do prédio.

As dúvidas sobre a veracidade dessa versão começam pelo fato de que ninguém parece ter testemunhado a aproximação do avião e muito menos visto destroços da aeronave depois do suposto choque. Poderia um avião com mais de 100 toneladas e quase 50 metros de comprimento simplesmente desintegrar-se com a colisão? Fotografias tiradas no local logo depois do acidente lembram muito mais cenas de atentados a bomba do que de acidentes aéreos. A análise das imagens forneceu ainda mais argumentos contra a história oficial do atentado.

Não tardou para que corresse a versão de que o Pentágono teria sido atingido, na verdade, por um míssil teleguiado, o que parecia mais compatível com o grau de destruição que se verificou no prédio. Teria sido um ataque simulado pelo próprio governo dos Estados Unidos? Muitos adeptos de teorias da conspiração apostam que sim. O objetivo poderia ser o de criar em Washington o mesmo clima de pânico e indignação que tomava conta de Nova York com a destruição das torres gêmeas – dessa forma, seria mais fácil angariar apoio político para as ações de combate ao terrorismo que viriam, incluindo as invasões do Afeganistão e do Iraque.

2. Os terroristas eram pilotos hábeis o suficiente para fazer as manobras com os aviões?

Pilotar um avião de grande porte a poucos metros do chão, a uma velocidade superior a 500 quilômetros por hora, e ainda assim acertar um alvo como o Pentágono com precisão cirúrgica é uma tarefa considerada no mínimo um prodígio da aviação. Pela versão oficial, essa manobra teria sido realizada pelo saudita Hani Hanjour, apontado como o terrorista que assumiu o comando do Boeing 757. Apenas um mês antes do atentado, contudo, Hanjour não conseguiu tirar do chão um Cessna 172, um avião de pequeno porte. Ele tentou alugar o Cessna, mas os representantes da locadora acharam melhor vetar a transação quando perceberam a evidente falta de familiaridade de Hanjour com a aeronave.

Outra pergunta em relação ao atentado contra o Pentágono é: já que o avião conseguiu entrar livremente no espaço aéreo da capital, Washington, por que o alvo preferencial escolhido não foi a Casa Branca, o que certamente teria um efeito muito mais devastador para a auto-estima dos Estados Unidos, além de atingir diretamente o presidente americano George W. Bush?

3. Como se explica a apatia de George W. Bush ao saber dos atentados?

A cena está no documentário Fahrenheit 9/11, de Michael Moore. Enquanto o segundo avião colidia contra o World Trade Center, o presidente americano, George W. Bush, acompanhava leituras de alunos de uma escola em Sarasota, Flórida. De repente, o chefe da comitiva, Andrew Card, aproximou-se de Bush e cochichou algo em seu ouvido. O que ele disse, soube-se depois, foi: “O país está sendo atacado por terroristas”.

Ao longo dos sete minutos seguintes – uma eternidade diante das circunstâncias –, o presidente continuou ouvindo as crianças com um olhar perdido, que não demonstrava emoção alguma. Quando a cena tornou-se de conhecimento público, a pergunta que todo mundo se fazia nos Estados Unidos era: no que, afinal de contas, o presidente pensou durante aqueles minutos? Por que não interrompeu o compromisso assim que soube da notícia e procurou se informar sobre o que estava acontecendo?

Para as pessoas que acreditam no envolvimento do próprio governo americano nos atentados, Bush não precisaria ter sido avisado de nada, até porque sabia exatamente o que estava acontecendo no momento.

4. Por que os serviços de inteligência dos Estados Unidos não descobriram os planos dos terroristas?Um mês antes dos atentados de 11 de setembro, a CIA teria alertado o presidente Bush sobre os riscos de ataques terroristas, citando especificamente a Al Qaeda, a rede comandada por Osama Bin Laden. A rápida identificação dos terroristas pelo FBI logo depois dos atentados comprovou que havia informações disponíveis sobre a maioria deles. Soube-se mais tarde que uma escola de pilotagem de Minnesota havia denunciado as atitudes estranhas de um dos terroristas, o francês de origem marroquina Zacarias Moussaoui, que queria apenas aprender a pilotar um avião sem se interessar pelos momentos da decolagem e do pouso.

Uma das teorias conspiratórias que surgiram em decorrência dos atentados de 11 de setembro diz que os planos dos terroristas já eram de conhecimento do governo americano, que apenas monitorou as ações do grupo no sentido de criar um clima favorável ao presidente Bush em suas intenções de invadir o Iraque e o Afeganistão. De fato, os ataques terroristas foram convenientes para o presidente em vários aspectos. Seu índice de popularidade pulou de 50% para 90% quando ele se tornou o líder da guerra contra o terrorismo. E a indústria de armas, uma das principais financiadoras de sua campanha à Presidência, deu pulos de alegria com as encomendas e a valorização das ações nas bolsas de valores.
  
 5. Por que os aviões não foram interceptados por caças?

Justamente naquele dia 11 de setembro estava ocorrendo, nas proximidades da fronteira com o Canadá, uma série de exercícios militares que envolveu parte dos caças interceptadores que deveriam estar atuando nas áreas onde ocorreram os atentados. A mistura entre realidade e ficção confundiu operadores de vôo e outros profissionais ligados à segurança aérea, que demoraram a perceber que havia algo de errado quando alguns aviões sumiram do radar.

Os terroristas desligaram o transponder, aparelho que identifica o avião para os controles civis em terra. Esse ato é típico de terrorismo e indica uma grande ameaça – seria, por si só, justificativa para a interceptação. Mas nada foi feito durante mais de 20 minutos, o que deu uma confortável vantagem para os terroristas. O comando militar só teria sido avisado sobre o sumiço do vôo 77 dez minutos antes de o avião supostamente cair sobre o Pentágono.

6. Os passageiros do avião que caiu na Pensilvânia realmente lutaram contra os terroristas?

Diz a versão oficial que os passageiros do vôo 93 da United Airlines, que caiu sobre uma área rural não habitada da Pensilvânia, teriam heroicamente lutado contra os seqüestradores a ponto de fazer a aeronave ir ao chão antes de atingir o alvo, possivelmente a Casa Branca. Os passageiros teriam sido informados por telefone sobre o atentado ao World Trade Center e queriam evitar que algo semelhante ocorresse – por isso resolveram invadir a cabine de comando e lutar contra os terroristas.

A suspeita natural que surgiu é que ao menos esse avião, que percorria um trajeto mais longo que os demais, foi interceptado e abatido pelos caças da Força Aérea americana. Reforça essa hipótese o fato de os destroços da aeronave terem sido encontrados em um raio de 6 quilômetros, algo que não se encaixa muito bem na versão de que o avião teria caído sem ter sido atingido.

Seria, contudo, um choque para a população saber que os 44 inocentes passageiros daquele vôo haviam sido mortos pela ação de um caça interceptador. Além do mais, no processo de reconstrução do moral do país depois dos atentados (e de convencimento da população sobre a necessidade de invadir o Iraque e o Afeganistão), seria conveniente contar com a memória de heróis pela qual valesse a pena lutar.


 7. Quem se beneficiou com a destruição das Torres Gêmeas?


  A companhia que administrava o World Trade Center, o Silverstein Group, havia acabado de arrendar o complexo em um contrato com 99 anos de duração. Mas já fazia algum tempo que o conjunto de sete prédios era deficitário, com muitas salas desocupadas. O primeiro passo da nova administração seria investir 200 milhões de dólares em reformas, mas os atentados acabaram poupando esse dinheiro – além de resultar em 3,6 bilhões de dólares em seguro.

A análise quadro a quadro das cenas de desmoronamento das torres gêmeas revela detalhes intrigantes: jatos de poeira que sugerem indícios de explosão, embora oficialmente sejam resultado da queda sucessiva dos andares superiores sobre os inferiores. A suspeita de uso de explosivos ganhou força em função da queda vertical da primeira torre, típica de implosões planejadas. Além do mais, algumas testemunhas relataram ter ouvido explosões antes dos desabamentos.

E como artefatos de implosão poderiam ser instalados em um lugar tão movimentado como o World Trade Center sem que ninguém percebesse? Nesse ponto, há um fato que fez a festa de quem adora teorias conspiratórias: um dos diretores da companhia que cuidava da segurança do World Trade Center era ninguém menos do que Marvin Bush, o irmão caçula do presidente.

8. Evidências foram destruídas?

O vídeo feito por uma câmera instalada no alto do Hotel Sheraton, próximo ao Pentágono, teria sido confiscado por agentes federais logo depois do atentado. Imagens registradas pela câmera de segurança de um posto de gasolina que só atende a militares também teriam sido requisitadas por representantes do governo americano. Cenas gravadas por sistemas de monitoramento do Departamento de Trânsito também não chegaram ao público.

Da mesma forma, o conteúdo das caixas-pretas dos aviões não foi divulgado – oficialmente, nenhuma das quatro resistiu às colisões. Trabalhadores que atuaram na remoção dos destroços do World Trade Center relataram, contudo, que pelo menos duas caixas-pretas foram, sim, encontradas, e que agentes federais exigiram segredo absoluto sobre o episódio.

O acesso ao entulho resultante do desmoronamento das torres gêmeas por especialistas independentes foi vetado pelo prefeito de Nova York, Rudolph Giuliani. Esses especialistas poderiam avaliar a pertinência da versão de que o colapso das torres foi conseqüência do choque dos aviões e investigar a possibilidade de uso de explosivos.


9. Quem mandou antrax pelo correio?

Nas semanas seguintes aos atentados terroristas, uma nova ameaça levou pânico à população dos Estados Unidos: o envio pelo correio de esporos de uma bactéria letal, o antrax. As correspondências foram enviadas justamente a pessoas e instituições que poderiam ter algum peso no questionamento das versões oficiais do atentado, como jornais e emissoras de TV. O senador democrata Tom Daschle, que havia proposto a criação de uma comissão no Senado para investigar as perguntas não respondidas do caso, foi um dos destinatários. Vinte e duas pessoas foram contaminadas, entre funcionários dos correios e pessoas que manipularam as cartas nos locais de destino, e cinco delas morreram.

O tipo de material enviado nas correspondências era manipulado apenas em locais controlados. Investigações do FBI levaram ao nome do biólogo Steven Hatfill, especialista em armas biológicas que trabalhava em um laboratório de doenças infecciosas do Exército americano localizado em Maryland. Ele não foi oficialmente apontado como autor dos atentados – as investigações não foram conclusivas – e sempre negou ser o responsável pelo envio dos esporos da bactéria. Agora está processando o governo americano por difamação e calúnia.

10. Por que Bin Laden não foi capturado?

Quando ocorreram os atentados de 11 de setembro, 24 membros da família Bin Laden, uma das mais ricas da Arábia Saudita, estavam nos Estados Unidos, a maior parte cursando universidades. Por iniciativa da embaixada da Arábia Saudita, com o apoio do FBI, todos foram reunidos o mais rápido possível e embarcaram, no dia 18 de setembro, para Paris. A justificativa era que a integridade deles estava em risco. O jato especialmente destinado à missão passou por várias cidades dos Estados Unidos para recolher os familiares do alegado inimigo número um do país, sem que qualquer um deles fosse interrogado sobre um possível envolvimento com o episódio ou, na melhor das hipóteses, sobre a suspeita relação com o parente famoso.

No documentário Fahrenheit 9/11, Michel Moore relatou ligações antigas entre as famílias Bush e Bin Laden, inclusive em empreendimentos na área armamentista. Há quase três décadas, Bush pai teria contratado, como empresário, serviços de Salem Bin Laden, o irmão de Osama que controlava os negócios da família à época. A construtora dos Bin Laden tem relação com importantes corporações americanas e realizou muitas obras de infra-estrutura no país.

Outro aspecto que nunca ficou bem explicado é como Bin Laden teria conseguido coordenar ações tão bem planejadas estando em um país com pouca infra-estrutura como o Afeganistão, a 15 mil quilômetros de distância. E como conseguiu se esconder tão bem a ponto de não ser encontrado.

Parece conveniente para o governo dos Estados Unidos manter Bin Laden como uma ameaça constante. E o terrorista foi bem camarada com Bush ao divulgar um vídeo com novas ameaças na reta final da campanha de reeleição do presidente americano.

sábado, 13 de novembro de 2010

Chuva de sapo

Chuvas de sapo não são apenas cenas de filmes como Magnólia e nem coisa da Bíblia. Elas acontecem mesmo!.Em Ishikawa, no Japão rolou uma chuva dessas em junho de 2009. Esse tipo de chuva ocorre devido a uma intensa tempestade seguida de tornado, esse tipo de tempestade com muito vento pode ser de alta ou baixa intensidade. Quando o redemoinho passa por um pântano ou um lago, ele suga os animais para cima, essa coleta é arremessada dentro de nuvens que em seguida, despejam os bichos junto com a chuva.

Chupa-cabras

Os 'chupacabras' são as criaturas hipotéticas responsabilizadas por uma recente série de mutilações de bovinos na América do Sul. Na última década, centenas de animais foram encontrados mutilados por todo o Brasil. Muitas vezes os animais são encontrados com uma enorme quantidade de sangue drenado de seu corpo, mas outros sinais incluem a remoção da mandíbula, língua ou do ânus, semelhança surpreendente com mutilações no gado dos E.U.A.
O mito 'chupacabras' começou em Puerto Rico, onde uma série de aparições durante a primeira década de 1970 fez manchetes. Num primeiro momento parecia que as cabras e as ovelhas eram o único item no menu, mas isso logo mudou, quando as criaturas foram relatadas no México, duas décadas depois, e começaram a atacar o gado. Há uma série de teorias que explicam o aparecimento súbito destas criatura na América do Sul. Talvez a explicação mais lógica é que sua espécie é nativa da Amazônia e que o desmatamento a tenha forçado a deixar a floresta tropical, pela primeira vez em busca de alimento. Outra teoria popular, acredita que os curiangos são de origem extraterrestre, devido ao fato de que os ataques do chupacabras muitas vezes coincidem com os avistamentos de OVNIs.
Muitos dizem que os animais predadores podem estar por trás da ascensão de mutilações de animais de experimentação ou culpa secreta do governo, mas a verdade continua a ser um mistério.

Chuva de sangue


Entre 25 de julho e 23 de setembro de 2001, foi relatado que uma coloração na chuva caía no sul do estado indiano de Kerala. A chuva de sangue vermelho caía esporadicamente em toda a região e os cientistas correram para o local para analisar sua composição. Após uma inspeção mais aprofundada, foi descoberto que partículas microscópicas presentes na água, de aparência semelhante às células do sangue humano, foram os responsáveis pela coloração.
Várias explicações para o sangue em forma chuva foram divulgadas, inclusive a teoria de que um meteorito, que atingiu a atmosfera um pouco antes, havia colidido com um bando de morcegos e pulverizado seu sangue para a atmosfera. Talvez a teoria mais ambiciosa foi a dos cientistas Godfrey Louis e Kumar Santhosh da Universidade de Gandhi Muhatma, Karela. Eles especularam que as células contaminantes foram de origem extraterrestre e que tinham sido transportadas para a Terra por um meteorito, confirmando a teoria da Panspermia. Atualmente aceita, no entanto, é que as partículas poluentes são um tipo de algas marinhas, mas Louis e Kumar afirmam que as células têm "propriedades incomuns".

A dança da Morte

Epidemia começou em julho, com mulher bailando sem parar por 6 dias. O transe acabou envolvendo centenas de pessoas e durou até setembro.

Em julho de 1518, a cidade francesa de Estrasburgo, na Alsácia (então parte do Sacro Império Romano-Germânico) viveu um carnaval nada feliz. Uma mulher, Frau Troffea (dona Troffea), começou a dançar em uma viela e só parou quatro a seis dias depois, quando seu exemplo já era seguido por mais de 30 pessoas. Quando a febre da dança completava um mês, havia uns 400 alsacianos rodopiando e pulando sem parar debaixo do Sol de verão do Hemisfério Norte. Lá para setembro, a maioria havia morrido de ataque cardíaco, derrame cerebral, exaustão ou pura e simplesmente por causa do calor. Reza a lenda que se tratava de um bloco carnavaleso involuntário: na realidade ninguém queria dançar, mas ninguém conseguia parar. Os enlutados que sobraram ficaram perplexos para o resto da vida.

 Para provar que a epidemia de dança compulsiva não foi lenda coisa nenhuma, o historiador John Waller lançou, 490 anos depois, um livro de 276 páginas sobre o frenesi mortal: “A Time to Dance, A Time to Die: The Extraordinary Story of the Dancing Plague of 1518”. Segundo o autor, registros históricos documentam as mortes pela fúria dançante: anotações de médicos, sermões, crônicas locais e atas do conselho de Estrasburgo.

Um outro especialista, Eugene Backman, já havia escrito em 1952 o livro "Religious Dances in the Christian Church and in Popular Medicine". A tese é que os alsacianos ingeriram um tipo de fungo (Ergot fungi), um mofo que cresce nos talos úmidos de centeio, e ficaram doidões. (Tartarato de ergotamina é componente do ácido lisérgico, o LSD.)
Waller contesta Backman. Intoxicação por pão embolorado poderia sim desencadear convulsões violentas e alucinações, mas não movimentos coordenados que duraram dias.
O sociólogo Robert Bartholomew propôs a teoria de que o povo estava na verdade cumprindo o ritual de uma seita herética. Mas Waller repete: há evidência de que os dançarinos não queriam dançar (expressavam medo e desespero, segundo os relatos antigos). E pondera que é importante considerar o contexto de miséria humana que precedeu o carnaval sinistro: doenças como sífilis, varíola e hanseníase, fome pela perda de colheitas e mendicância generalizada. O ambiente era propício para superstições.

Uma delas era que se alguém causasse a ira de São Vito (também conhecido por São Guido), ele enviaria sobre os pecadores a praga da dança compulsiva. A conclusão de Waller é que o carnaval epidêmico foi uma “enfermidade psicogênica de massa”, uma histeria coletiva precedida por estresse psicológico intolerável.
Outros seis ou sete surtos afetaram localidades belgas depois da bagunça iniciada por Frau Troffea. O mais recente que se tem notícia ocorreu em Madagascar na década de 1840.